quarta-feira, 14 de setembro de 2011

O Non-Sense e A Diversão

Pesquisa baseada nas letras de cantigas e histórias infantis e na observação de crianças e de pseudoadultos comprovam que a melhor diversão está fundamentada no non-sense, na falta de sentindo, na loucura. 


Depois de meses de trabalho duro e inúmeras pesquisas de campo, os melhores e mais competentes cientistas do Folle Institute  chegaram à conclusão de que a mais prazerosa forma de diversão está intimamente associada ao que a sociedade chama de "loucura". Além disso, eles afirmam que ela traz muitos benefícios à saúde. Ter conversas malucas e falar idiotices com os amigos, dançar de forma espontânea e louca, cantar - mesmo que seja desafinadamente, sair de casa quando começa a chover para banhar na chuva, tomar sorvete enquanto caminha na chuva*, relembrar brincadeiras, músicas e desenhos que marcaram a sua infância, gritar no meio da rua, assistir vídeos idiotas no youtube, tudo isso faz um bem inacreditável ao modo de vida de qualquer ser humano.

Os cientistas dizem que rotinas são importantes e que todas as pessoas precisam delas, mas em excesso elas podem levar qualquer um ao estado de fadiga e estresse extremo. Por isso a loucura é de extrema importância, ela serve para quebrar a rotina ocasionalmente. Não é preciso que seja uma loucura muito grande, apenas algo que muitos consideram sem sentido e até inútil já é suficiente."Rodar sem sair do lugar até ficar tonto pode causar um êxtase indescrítivel - o mesmo efeito que algumas drogas possuem - e é um ótimo exemplo do que consideramos ser uma diversão baseada na loucura", afirma o Dr. Richard Gotcrazylyfreaky, chefe da pesquisa.

Caso você não saiba como adicionar uma pitada de non-sense à sua vida, eles aconselham que peça ajuda à uma criança, elas são experts nesse assunto e excelentes professoras também.


Apesar de tantos benefícios, os cientistas recomendam que toda essa loucura seja cuidadosamente dosada porque - como muitas outras coisas - em excesso, ela pode surtir o efeito contrário e acabar fazendo mal à saúde. Além disso, ela possui a capacidade de viciar igualada a das mais poderosas drogas. 


Então, seja louco e divirta-se porque ser normal é ingresso certo para uma estadia na casa verde.



*Experiência relatada pelo meu amigo Weber e que pretendo experimentar assim que tiver a oportunidade.





8 comentários:

Marília Ferreira Cruz disse...

Tudo com uma pitadinha de surrealismo é mais legal. Só não vale deixar-se dominar pelo non-sense, pela loucura. Moderação é o segredo!

Beijos :**

Marcela disse...

Adorei! Sempre acreditei que ser um "normopata" dessa sociedade era uma maneira de adoecer ...portanto, fujamos às regras para termos saúde.

Annie Adelinne disse...

'peça ajuda a uma criança' ÓTIMO!!! hahahaha

Keysse Dayane disse...

Rodar no mesmo lugar realmente causa uma sensação indescritível, repeti tal feito diversas vezes! Música também surti o mesmo efeito em mim! Ótimo post! Beijos

Aline M. Gomes disse...

hahaha

Merecia 1 post mesmo. Noooossa tô lembrando de mais algumas canções:
"Melão, melão" e aquela da viuvinha q vinha de Belém, etc

iris g. pestana disse...

Adoro quando minha loucura é incentivada cientificamente!!! ^^

Jhessica Monteiro disse...

ÊEEEEEE! Eu sabia que dar voz ao meu Smurf faria bem à saúde! rs :D

Vanessa Carneiro disse...

auhsuhuas Nossa! Quem diria que tanta gente ficaria feliz ao ler essa reportagem e descobrir que ser louco faz bem a saúde =p