domingo, 3 de abril de 2011

Querido John



"Quando Savannah Lynn Curtis entra em sua vida, John Tyree sabe que esta pronto para começar de novo. Ele, um jovem rebelde, se alista no exército logo após terminar a escola, sem saber o que faria de sua vida. Então, durante sua licença, ele conhece Savannah, a garota de seus sonhos. A atração mútua cresce rapidamente e logo transforma-se em um tipo de amor que faz com que Savannah jure esperá-lo concluir seus deveres militares. Mas ninguém pôde prever que os atentados de 11 de Setembro pudessem mudar o mundo todo. E como muitos homens e mulheres corajosos, John deveria escolher entre seu amor por Savannah e seu país. Agora, quando ele finalmente retorna para Carolina do Norte, John descobre como o amor pode transformar as pessoas de uma forma que jamais poderia imaginar. "




Bonita. Triste. Mas bonita. Assim é essa história. O livro não me levou às lágrimas como imaginei, nem me deixou emocionalmente tensa, mas definitivamente me cativou.
Eu li várias resenhas em que as pessoas diziam estar revoltadas pelo que a Savanah fez ao John. Eu não fiquei. Logo no prólogo nós já ficamos sabendo como a história vai terminar e assim podemos ficar preparados para o que vem em seguida.
O que mais me encantou foi o relacionamento do do John com o pai.
O Tim me impressionou desde o ínicio assim como a Savanah.
Acho melhor vocês lerem e tirarem suas próprias conclusões. Só digo que se fosse em outras circunstâncias acredito que a história teria tido um final bem diferente.

5 comentários:

Ivinha disse...

Vanessa, concordo com você. Em poucas palavras disse tudo sobre o livro.

Cíntia Mara disse...

Ah, eu não consigo não ficar com raiva da Savannah! Foi cruel. Com o John, com ela própria e com o Tim.

E o John... Sem palavras. Tá aí um personagem que eu admiro.

Aline M. Gomes disse...

Tb não chorei, mas gostei muito do enredo. Imagina só, a situação do John, era uma pressão da qual ele não poderia fugir (cultural e social). Savanah, por outro lado esperou por ele até o último segundo que deu. Eu tentei me colocar no lugar dela e não gostei muito não kkkk apesar de entender perfeitamente porquê John se realistou.
Como diz a Norah Jones na música Wish I could: "Love in the time of war is not fair
He was my man but they didn't care
Sent him far away from here
No goodbye
No goodbye"

Annie Adelinne disse...

Não sei do que é que vcs estão falando, mas tenho a impressão de que faria a mesma coisa qeu a Savanah. Sei lá por quê. (Ô nome feio, gente!)

Aline M. Gomes disse...

Tb acho feinho kkkk. Eh o nome de 1 cidade da Georgia e 1 das filhas do Sparks tem esse nome. Credo! Kkkk