quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Tarde de Julho


Ela olhava pela janela e observava o dia lá fora. Era um dia calmo e tranqüilo, havia um arco-íris no céu e os pássaros cantavam alegremente como se estivessem em um filme infantil. Um perfeito e irônico contraste com a maneira como ela se sentia por dentro. Levantou-se e fechou a janela; não suportava ver aquela cena. “Seria cômico de não fosse tão deprimente.” Pensou. Não podia mais de esconder, as pessoas estavam começando a chegar. Respirou fundo e foi para a sala.

O caixão repousava aberto no centro do cômodo. Dentro dele dormia um anjinho de apenas 5 anos. Um menino, um doce menino que não teria mais a oportunidade de se tornar um homem. Ele nunca mais jogaria futebol com os amigos, esconderia os cacos do vaso quebrado da mãe ou pediria a ela ajuda com os deveres de casa.

“Meus pêsames.”

“Sinto muito.”

“Ele era um menino de ouro.”

“Sentiremos falta dele.”

Palavras e mais palavras. Frases de condolência. Algumas ditas com sinceridade, outras por obrigação. Mostravam que as pessoas se importavam, mas não aplacavam a dor que ela sentia. Pelo contrário, faziam com que se lembrasse da situação em que agora se encontrava e, consequentemente, aumentavam a sua dor.

Sentou-se no sofá ainda pensando no quanto a saudade que sentia do filho doía. Foi então que viu sua sobrinha de 3 anos vindo em sua direção. A menina não falou nada, apenas subiu no sofá e abraçou a tia, que começou a chorar. A criança endireitou-se e puxou a tia pelo braço até que esta se deitou e recostou a cabeça naquele colo diminuto. E enquanto sentia a pequena fazer carinho em seus cabelos e tentar enxugar as suas lágrimas, ela começou a ter esperanças de que ficaria bem.

Ps.: Juro que quando a professora pediu pra fazermos uma redação e que podia ser narração eu tentei fugir tanto da minha veia trágica quanto da infantil. Mas quando ela disse que era pra escolher um dos temas: "O falar é prata e o silenciar é ouro" ou " o pingo d'água" eu vi que não ia ter saída. Como podem ver escolhi a primeira opção, é bem provavél que ela diga fugi do tema e etc. mas... a redação está feita, agora é só entregar e esperar ela corrigir.
Ps2.: Ainda quero fazer a redação do pingo d'água, Se fizer posto aqui pra vcs verem. Beijão 

Um comentário:

Anderson disse...

Ei linda, isso é mt triste e ao mesmo tempo bonito, ja passei por essa situação várias vezes, eu ficava com receio de acabar aumentando a tristeza da pessoa, eu fazia exatamente o que a garotinha fez, abraçava bem forte, queria que percebesse que eu estava ali p ajudar no que fosse possivel e que podia contar comigo.
Mt bom, gostei